quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Empilhando as mágoas antigas...



Mágoa é um olhar,
É deixar claro que o sentimento está maduro,
É ser sentimento...

As mágoas são lápides internas, pesos que foram criados apenas para serem notados e depois jogados fora;
Uma mágoa é como um infarto, um semblante senil, o doce ar de envelhecer antes do tempo, reter mágoa é magoar-se a si mesmo.
Mágoa é fluido, nunca deve estancar, senão gangrena e morre. Mágoa é perdão criança, lhe falta idade.
É como carregar as faces do amadurecimento dentro do peito, e então, sobra o que a de melhor, luz.

Magoar é estar fora de si, caminhar pra fora, De-ambular. Magoar é excesso de monotonia, é contrabando de sentimentos errados, e fruto que cai de podre.

Sem mágoa não existe perdão, não existiria pátria amada, nem falta de solução... Sem mágoa o aperto é maior, o infarto é um fato, e toda solidão é mesmice de acordar no dia seguinte.
Sem mágoa não há caminho, nem caminhar. Se não há motivo, nem causa, qual a causa de tudo isso?

Então que seja simples deixar pra traz, que seja macio, e não doloroso... Se for pra ser mágoa, que seja consciente, absoluto de certezas, e pronto para dar um fim, antes que comece a perder o controle.

6 comentários:

  1. Texto maravilhoso. Escreves muito bem ^^.

    ResponderExcluir
  2. Muito bom, mas como já havia dito, teus textos poderiam ser mais felizes. Hehehe!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Nossa....palavras bem colocadas...parece até uma tradução de um dia como esse...
    Estado de espírito o qual eu não gosto =/
    Gostei do texto...muito bom!

    ResponderExcluir
  5. '' Magoar é excesso de monotonia, é contrabando de sentimentos errados, e fruto que cai de podre.''

    me ensina a ter essa força com as palavras?

    eu achei divino demais!

    ResponderExcluir
  6. Nossa , descreveste muito bem esse sentimento de mágoa .

    Gostei muito .

    ResponderExcluir